CD Manhã - Pentágono - CAPA

Novo CD do Pentagono mistura mensagem e melodia em estilo ímpar de RAP

CD Manhã - Pentágono - CAPA

O Pentágono vai acabar? Esqueceram de avisá-los! Por ficar uns 4 anos sem lançar um novo CD, cogitou-se a possibilidade do término do grupo. Mas, não pense que foram quase 4 anos de abstinência. Na verdade, o grupo trabalhou muito nesses últimos anos, tanto com seus próprios trabalhos, como no fortalecimento das carreiras solo de seus integrantes.

O que eu mais gosto no trampo do Pentágono é a facilidade que eles têm em unir o protesto social do RAP com a melodia de uma boa voz. E isso vem desde o começo da carreira do grupo, talvez uma das razões para o sucesso.

Eles conseguem ir além da batida pesada, da letra inteligente, e acrescentam muita melodia, uma musicalidade incrível. E não é só um ou outro, o grupo é bastante homogêneo e bem definido quanto ao estilo que carrega.

Um exemplo interessante do que estou falando sobre as músicas do grupo se encontra na faixa “Nóiz é nêgo“. Ao mesmo tempo que o som trata do preconceito às minorias no Brasil, ele não deixa de lado em nenhum momento a musicalidade do grupo.

Pode parecer algo simples e corriqueiro, mas na verdade não é. Por muito tempo, fomos acostumados a ouvir ou um RAP pesado, com letra contestadora e batida explosiva, ou um RAP mais tranquilo, letra mais romântica e rimas mais melódicas. O Pentágono é um dos primeiros a fazer essa união e fazê-la de maneira tão boa!

 Grupo de RAP Pentágono

Além da entrada de “Tá teno” ser bem parecida com a entrada de “Pessoas são“, do Rashid, a música carrega outra peculiaridade: muita gente chegou a dizer que o Pentágono havia acabado; o som abre o CD como se dissesse que o time ainda tá vivão e que se o grupo acabou, os integrantes não chegaram a saber.

O CD segue com a música “Beaba“, música que já comentei aqui em um post anterior. Mas, preciso acrescentar: gostei bastante da escolha dela por ser uma das primeiras faixas do trabalho, visto que beabá funciona como uma expressão de começo de aprendizado, então que já iniciem passando a mensagem.

Quem acompanha o trabalho do grupo sabe que de vez em quando o assunto “erva” aparece. Uma das participações mais loucas do CD fala disso. Na música “Incandescer“, o Pentágono conta com o Maomé, da Cone Crew Diretoria, pra falar das qualidades da verdinha. Já em “Não dá mais“, a participação de peso é da Lívia Cruz, que chega no refrão de um som que fala sobre a relação de um casal que, como a música diz, parece que não vai dar certo.

Não só pela participação do Projota, mas a música “Me ensinou” é um dos grandes destaques do CD. A mensagem da música sobre os ensinamentos do RAP é o que os que correm pelo movimento sempre lutam para passar adiante.

Em pouco mais de 4 minutos, eles conseguem descrever bem uma pá de ensinamentos que o RAP trouxe para a vida de cada um que se dedica ao movimento.

Além da qualidade da música, ela carrega uma das maiores qualidades do Pentágono: por ter uma mistura de letras inteligentes com som melódico, eles conseguem levar a boa mensagem do RAP pra um público gigantesco. É a mistura de ritmos que você apresenta pra alguém que não conhece o RAP direito misturada com o peso das letras que você mostraria pro seu amigo mais viciado no tipo gangster.

Não é à toa que o grupo foi, é e sempre será uma referência no RAP Brasileiro. Aliás, uma ótima referência. Se esse foi o CD “manhã”, não vejo a hora de ouvir o “tarde”, “noite” e o “madrugada”…

Manhã – Pentágono

01. Tá Teno
02. Beabá
03. Amanhã
04. Nóiz É Negô
05. Me Ensinou (Part. Projota)
06. Viver
07. Sem Direção
08. Incandescer (Part. Maomé)
09. Não Dá Mais (Part. Lívia Cruz)
10. Por Onde For

DOWNLOAD OFICIAL 

Curtiu? Receba as atualizações por e-mail!

Guilherme Junkes

Guilherme Junkes

CEO e Fundador at Vai Ser Rimando
Um vagabundo nato que se mete a escritor, assiste a uns filmes, umas séries e pela cerveja tem muito amor.
Guilherme Junkes

Leave a Reply

*

1 comment