Nocivo Shomon sempre foi um nome que veio acompanhado de muita polêmica. Nem todos os seus trabalhos foram polêmicos, mas desde “A rua é quem” e “Retaliação” se tornou quase impossível citá-lo sem mencionar os intermináveis questionamentos ao Emicida ou a discórdia com o DJ Caique ou até mesmo aquela tretinha com o AXL.

Nocivo já tinha lançado um CD inteiro antes de qualquer uma dessas tretas, antes mesmo do Emicida aparecer com “Triunfo”. Muitos dos seus fãs e/ou pessoas próximas a ele, aliás, foram contra novas linhas sobre o assunto. Mas, é inegável que todas essas diss e as tantas outras que vieram depois fizeram um bem tremendo pra popularidade do rapper.

Por isso, quando, na sua treta mais recente, intitulada “Disscarrego”, ele reclamou dos MCs estarem o citando só pra ganhar fama e os criticou por estarem fazendo musiquinha pra ele enquanto o Brasil tem tantos outros problemas, as pessoas logo perceberam que ele tava criticando alguém por supostamente fazer o mesmo que ele fez, principalmente em relação ao Emicida; ele que ainda é visto por muitos como um “artista mochila”, por ter subido às custas de outros; ele que tem uma linha de produtos inspirada em uma das diss que fez.

A contradição é tão grosseira que chega a parecer uma piada. Não é uma contradição à la Malcolm X ou daquelas que a pessoa simplesmente muda de opinião porque, quando isso acontece, você simplesmente diz que mudou de opinião, talvez explica por que mudou. Quando você não faz isso e simplesmente ataca alguém por ter feito o mesmo que você, é falta de noção.

Mas, mesmo assim, acho que as contradições do Nocivo são as nossas também. Não todas, obviamente; Brown nos livre de sermos tão sem apego pelas nossas linhas assim. Me refiro especificamente às referentes ao shomonismo. Acho que a grande maioria de nós é mochileira também e, às vezes, nem percebe.

Não acho que o motivo seja o mesmo do Nocivo, mas ainda assim acredito que a reflexão é válida. Vamos pegar o Vai Ser Rimando como exemplo. Tenho publicado por aqui opiniões e reflexões sobre a cena. Cês acham que eu não me beneficio mais se falar desse ou daquele rapper? Em número de views, eu digo. É óbvio que sim e eu sei que sim. E eu posso até dizer pra vocês de verdade mesmo que não falo desse ou daquele rapper por causa dos views, mas, do ponto de vista de vocês, vai parecer bem suspeito.

E isso vale também pros sites de notícias, que ganham bastante divulgação dos rappers que querem mostrar que seu trampo tá sendo falado; pras páginas de humor, que tiram uma onda com artistas famosos e atraem uma legião, seja de fãs, seja de haters; pros próprios rappers que fazem disses ou até mesmo parcerias com outros por causa de suas popularidades (Marechal mesmo falou que a participação em “Quem tava lá?” foi bastante positiva pela possibilidade de levar seu som à criançada).

E isso, de forma alguma, tira a qualidade com que uma notícia é escrita ou a criatividade de fazer uma boa piada, assim como vi pouca gente até hoje falar que o Nocivo não tem talento. O problema não é nem praticar um pouco do shomonismo, até porque, mesmo em parcerias óbvias e amigáveis, é possível que isso aconteça. A questão é que, às vezes, ficamos tão cegos pela vontade de criticar que não enxergamos que fazemos as mesmas coisas. E como a gente gosta de criticar!

É verdade que você pode criticar algo e mesmo assim o fazê-lo. O bom e velho “faça o que eu digo, não o que eu faço”. Mas, não acho que essa seja uma prática saudável, principalmente se você é um rapper que quer demonstrar respeito aos fãs. (Infelizmente, essa é uma prática comum, por isso gosto de dizer que é melhor se apegar a uma ideia do que a uma pessoa, ainda mais quando a relação é tão distante quanto artista-fã).

A crítica é uma das bases do hip hop; você não só pode como DEVE fazê-la quando achar necessário. De preferência, que ela venha com alguma pesquisa antes, com alguma base e de forma que possibilite a mudança e o crescimento dos envolvidos. Mas, dane-se, deixe seu coração falar mais alto, bota todo aquele sentimento pra fora. Só não esqueça que o tipo de pessoa que apenas faz críticas e não aceita recebê-las é o tipo que vira ditadora em algum momento da vida.

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*