Músicas precisavam arrepiar. Palavras tinham de se encaixar. Histórias precisavam ser bem contadas, bom, precisavam de alguém para contar. As citações sempre deram uma nova perspectiva, os personagens um novo modelo de vida, e tudo poderia mudar na próxima linha. As rimas trouxeram a inspiração, deixando pra batida vir carregada de emoção. Cada novo passo, cada novo astro, novo herói, marcava o momento, e cada vez mais esses momentos foram marcados com sentimento. Um fundo branco cheio de palavras pode ser indiferente pra você, mas nos dá a sensação de quem tá fazendo acontecer.

História

O Vai Ser Rimando começou como um blog pessoal para expor rimas, no dia 27 de setembro de 2010. Na mesma época, surgiu a oportunidade de revender os produtos da Laboratório Fantasma na região de Blumenau/SC. Assim, o blog começou a servir também como vitrine para apresentar os produtos em questão. Percebendo a oportunidade, o número de produtos para revenda cresceu; Marechal, Rashid, AXL foram alguns artistas com produtos oficiais revendidos, já no começo. À medida que íamos mais profundamente na cultura de rua, mais posts surgiam no blog como complemento.

Em 13 de junho de 2011, um passo importante foi dado para o crescimento do blog: a migração para o domínio vaiserrimando.com (agora .com.br), pois até então era hospedado no wordpress.com. Foi um passo significativo porque agora havia um custo, que, por menor que fosse, gerava uma certa responsabilidade. Nessa equação toda, o resultado era a afirmação de uma marca e de um compromisso com o público. Assim, a revenda de produtos ficou para o segundo plano e a geração de conteúdo se tornou o principal foco.

Por alguns anos, o Vai Ser Rimando foi uma das principais fontes de informação do Hip Hop Brasileiro. Um site com notícias diárias sobre RAP, graffiti, break, literatura marginal, entre outras temáticas afins. Com quase mil artistas “registrados” e pouco menos de cinco mil publicações, ganhou o respeito de um dos movimentos de maior destaque atualmente no País.

Entretanto, isso não chegava nem perto de ser suficiente. Infelizmente, a mídia do Hip Hop (o VSR incluso, obviamente) não conseguiu acompanhar o crescimento financeiro da indústria e os já escassos veículos são limitados a um ou outro voluntário, uma parada literalmente amadora (do latim, “amare” ou algo como “aquele que faz por amor”). Assim, a cobertura fica limitada quase que exclusivamente aos estados de maior expressão; aos artistas de maior nome, que irão gerar mais acessos e consequentemente maior popularidade ao veículo.

Não faz sentido apontar dedos e culpar quem está fazendo tudo que pode com o pouco que tem, mas, no fim das contas, de maneira geral, acabamos agindo da mesma forma que os veículos tradicionais que tanto abominamos. Na tentativa de mudar isso, de aproximar o site das pessoas e permitir que todos fossem ao menos divulgados de forma básica, iniciamos um projeto no fim de 2014. O projeto consistia em dar ao site um sistema robusto com inúmeras ferramentas de publicação, interação e entretenimento, tanto para o artista quanto para os fãs.

Depois de um investimento considerável de tempo e dinheiro, 2015 terminou com poucas esperanças. O site atual estava parado para que houvesse maior dedicação ao projeto para o novo site, que acabou não andando na velocidade desejada e não parecia ter data pra ser lançado (algo como um disco do Marechal pra chamar de nosso).

Estávamos tão perdidos em meio ao desejo de fazer algo substancial que o principal de tudo isso fora esquecido: somos amadores; fazemos por amor. A paixão pelo Hip Hop, que fora ofuscada pela espera e “burocracia” que demandam os projetos de tal porte, voltara com a mesma intensidade de antes. Os caminhos ainda estavam confusos, então decidimos voltar ao começo…

2016. 2016 promete ser um ano com uma novidade atrás da outra. Mas, é como se tivéssemos voltado a 2010-2011. Voltamos a ver no Hip Hop Brasileiro a importância da informação e do diálogo. Aquela luz no fim do túnel, a esperança de fazer a diferença. Mais importante do que isso, recuperamos a vontade de ser parte ativa para que a informação chegue às pessoas; para a criação de oportunidades para esse diálogo.

Voltamos a ser um blog; voltamos às opiniões e aos conteúdos detalhados. Aceitamos que, no momento, não conseguimos cobrir o quanto queríamos do Hip Hop no Brasil, então decidimos que daqui pra frente trataremos o conteúdo a que temos acesso com o dobro do cuidado. Não publicaremos todos lançamentos do momento, mas esta já é uma área suficientemente bem coberta (Bocada Forte, Portal Rap Nacional, Zona Suburbana, Noticiário Periférico são os nossos favoritos pra quem quiser se informar nas novidades).

A intenção é dar uma cara diferente à informação; lançar um olhar diferente sobre temáticas aparentemente batidas; escrever o que sempre quisemos escrever, mas tínhamos receio que o “RAP” não deveria/gostaria de ler.  A intenção é, mais do que nunca, se sentir vivo; estar vivo. Estamos vivos, irmãos, estamos vivos!

#vaiRAP

A tag #vaiRAP foi criada no dia 28 de outubro de 2010. Pode parecer bem pouco, apenas uma tag de twitter, mas é incrível o quanto uma simples expressão pode carregar tanto sentimento.