Quando a ideia por trás do Vai Ser Rimando era publicar as notícias do hip hop e, consequentemente, os lançamentos do rap brasileiro, o que eu mais via eram trampos postados no Soundcloud ou Youtube com descrições incompletas ou sem descrição alguma.

Tinha vez que até chegava e-mail pra divulgação apenas com o link. E o pior é que sempre rolava uma cobrança, direta ou indiretamente; MCs que cobram de outras pessoas o cuidado com a arte deles que eles mesmos nunca tiveram.

Se a mídia do hip hop brasileiro, que é um punhado de gente amadora (que faz o que faz quase que somente por amor), falha ao divulgar o trampo de outra pessoa, o que dizer então do próprio MC que lava as mãos e reclama dessa mídia pelo seu insucesso. A dica essencial é sempre a de ir trabalhar e arrumar espaço pro seu rap!

Mas, ficar reclamando da reclamação também não ajuda. Por isso, resolvi publicar estas 5 dicas que vão facilitar não só pros MCs divulgarem seus sons, mas também pros blogueiros e editores dos sites do hip hop brasileiro a receberem um conteúdo melhor pra fazer suas postagens.

Melhore as descrições dos seus trampos

Independente de qual plataforma você escolher pra fazer o upload da sua música ou vídeo, você terá a opção para acrescentar uma “descrição”. É muito comum que esse espaço seja utilizado para a publicação dos nomes envolvidos na produção ou para a letra do som. Até mesmo os artistas grandes o fazem.

Mas, isso é um erro. Pode-se sim colocar os créditos da produção e a letra da música, mas é ainda mais importante que haja uma pequena explicação sobre o que se está sendo divulgado. Não é preciso exagerar contando toda a história da criação, mas sobre o que fala a música? Qual a relação com o clipe?

Isso é importante não apenas para o visitante que cai de paraquedas naquela página como também para facilitar que mais pessoas a encontrem nas buscas. Aliás, tem artista que faz um release bonitão e envia com o link da página, mas na própria página que o trampo está colocado, há nada. Pensa-se que quem cair ali veio do release, ou seja, já sabe as informações necessárias, mas nem sempre é assim.

O Youtube, por exemplo, apresenta “vídeos recomendados”, além de você poder seguir os canais e acessar a novidade por ali, sem receber outras informações sobre ela. É o caso de alguns blogueiros. Assim, se você melhorar o conteúdo disponível sobre o seu trabalho, é bem provável que ele seja mais publicado e, consequentemente, compartilhado na Internet.

Publique em um blog/site próprio

Com o predomínio das redes sociais, praticamente todos os artistas abdicaram de sites próprios e fazem sua comunicação quase que exclusivamente através desses canais. Dá pra contar nos dedos os rappers brasileiros que possuem um site ou blog e estes ainda, em sua maioria, são de página única, sem informação e desatualizados.

Pra que um site quando o Facebook permite, sem aplicativos externos, que você tenha até uma loja própria na página? Bom, por onde eu começo… Você não é dono do Facebook ou de qualquer outra rede social que usa. Sim, parece idiota pensar que essas empresas farão alguma coisa com o seu conteúdo ou que irão sair do ar e prejudicar toda distribuição do seu conteúdo, mas já aconteceu antes.

Segundo que, exatamente por você não ser o dono, a exposição do conteúdo fica limitada às regras da plataforma. Os formatos das páginas, a limitação das publicações e até o recebimento da informação pelas pessoas que pediram pra te seguir ou te curtiram são prejudicadas.

Terceiro e pra mim mais importante é a imensa dificuldade de se encontrar conteúdo antigo na grande maioria das plataformas. E você nem precisa ir muito longe. Se você publica todo dia, tente achar uma postagem de 3 meses atrás no Facebook; o loading vai ser intenso e não só a página deve ficar mais lenta, como também pode acontecer de travar bem na hora que você a encontraria.

Se é ruim pra você, que sabe onde tá o conteúdo, imagina pra alguém que está procurando por algo relacionado ou descobrindo o seu trabalho. Já se você tivesse isso em um site, em alguns segundos, através de uma palavra-chave ou mesmo alguns rolamentos (dependendo do layout que você optou), isso seria facilmente encontrado por qualquer um. Além de também atrair pessoas procurando por material relacionado em sites de busca, como o Google (já tentou achar algum post do Facebook no Google? Só se a busca for muito específica mesmo!).

E não pense que ter um site ou um blog próprio é difícil ou caro. Existem muitas maneiras de você ter tudo isso de graça e em poucos minutos. Embora eu pague, por escolha própria, alguns reais por mês em hospedagem, o Vai Ser Rimando foi todo feito por mim, sem qualquer conhecimento prévio maior do que as épocas de mIRC me forneceram; a Internet é recheada de conteúdo gratuito nessa área.

Compartilhe com fãs e amigos

Obviamente que o MC, ao lançar seu trampo, postou ele em todas as redes sociais possíveis, mesmo naquelas que ele nunca mais havia acessado; e não postou apenas uma vez só, não. Mas, é importante entender que cada rede social tem sua peculiaridade e que saber usá-la pode trazer bons retornos.

Por exemplo, você pode soltar no Youtube um making of ou alguns teasers do trampo; o Facebook permite transmissões ao vivo que podem ser usadas pra trocar uma ideia sobre o lançamento; no Instagram, umas imagens da gravação, seja da música em estúdio, seja do clipe; no Soundcloud, pode soltar também a guia e liberar pra geral fazer remixes ou o beat pra mandarem uma rima e enviarem pra você publicar também; o Twitter pode ser o camisa 10 que conecta com maestria todas essas divulgações no mesmo lugar, como também uma conversa aberta com o público.

Enfim, existem inúmeras possibilidades além do largar o link e rezar pra que as pessoas assistam e divulguem. Aliás, já mostrou pros seus amigos? Muita gente, principalmente quem tem página no Facebook e os ares do business, esquece dos amigos na hora da divulgação.

Além de publicar também no seu perfil pessoal, você pode enviar pelas mensagens privadas. Até enviar antes de mostrar pro público em geral, como uma forma de agrado. É óbvio que é preciso bom senso; nada de enviar pra todas as suas conexões na plataforma; sem contatos genéricos, por favor.

Envie para aquelas pessoas mais próximas de você ou do seu trabalho, troque uma ideia sobre o lançamento, colha o que a pessoa achou e dialogue outros pontos. É bem provável que essa pessoa esteja mais inclinada a postar ou compartilhar quando o link for divulgado publicamente.

Envie para a mídia especializada

Esperar que seu trampo seja divulgado sem comunicar aos responsáveis que você o lançou é jogar contra você mesmo. Mas, pelo amor de Brown, não saia distribuindo indiscriminadamente por aí o link, muito menos acompanhado de um “fortalece aí, família”.

Escreva um release, que pode ser simples, apenas com um texto descritivo sobre o trabalho que está sendo lançado e os artistas envolvidos, ou bem completo, com depoimentos, projetos passados e futuros. Existem sites que publicam o release completo, como o Portal Rap Nacional, e sites que publicam, da sua maneira, as partes que são mais relevantes (o Vai Ser Rimando não publica mais no site lançamentos, apenas opiniões esporádicas. Mas, aceitamos receber releases, já que de vez em quando algo chama atenção e dá vontade de escrever sobre ou, pelo menos, divulgar nas redes sociais).

Por isso, é interessante mandar para cada site um release diferenciado. Ou, caso o seu release seja bem completo, você pode anexá-lo em todos os e-mails, mas mandar um e-mail diferente para cada site, voltado mais pra visão que o site costuma ter em suas publicações.

Por exemplo, se seu clipe possui umas pessoas andando de skate (de verdade, não só paisagem), cê pode separar sites que falam sobre o esporte e destacar essa parte nos e-mails enviados. Aliás, ninguém melhor do que você para falar do seu trampo; oferecer algo com exclusividade ou se disponibilizar para responder perguntas e completar informações pode ajudar.

De preferência, um e-mail personalizado pra cada site ou algo muito parecido com isso; a nossa classe é meio vaidosa e adora esse reconhecimento, esse massageamento de ego. Nada de elogios falsos, no entanto, e, que fique bem evidente: não somos sua família e nem queremos ser cobrados pela nossa humildade.

Ah, quando eu falo de sites, eu me refiro a qualquer produtor de conteúdo relacionado na Internet. Ou seja, inclua páginas no Facebook, perfis do Twitter, canais do Youtube, enfim, qualquer mídia que tiver relacionada ao seu assunto.

Aliás, muitas vezes, estas possuem uma maneira bem própria de serem alcançadas (um e-mail específico para divulgações ou um formulário no site, por exemplo). É de extrema importância que você procure esse caminho ou pergunte por ele antes de divulgar seu trampo; há quem receba dezenas dessas por dia, nada pior do que uns MCs que se acham diferentões pra ferrar com o esquema.

E uma dica final e muito importante nesse quesito: o responsável pela mídia em questão não tem a menor obrigação de publicar o seu lançamento. Então, tenha paciência e procure criar um diálogo, uma parceria interessante para os dois lados.

Marque presença

Embora a Internet esteja cada vez mais presente no dia a dia das pessoas, ainda há quem a veja como algo separado da “vida real”. Pessoas criam coragem pra xingar outras pessoas apenas por estarem “escondidas” por um perfil, como se isso as colocassem em outra dimensão. Acham que não serão cobradas, mas pode ter certeza que serão.

O que você faz na Internet repercute fora dela e vice-versa. Caminhamos para a união completa do online e offline, o “onlife”. E isso significa muito mais do que ter o mesmo cuidado com suas publicações nas redes sociais que você teria no trato com as pessoas presencialmente; carregar com você o que você expõe nas redes sociais é o mínimo.

Se pra se destacar muita gente se expôs em batalhas de MCs e colou na porta de outros shows pra trocar ideia com o público, por que não levar isso pros seus perfis nas redes sociais? Use suas redes para expor sua opinião sobre outras questões fora do hip hop e até sobre o trampo de outros artistas; cole nas publicações destes e nos seus lançamentos e deixe um comentário.

Quanto melhor for a sua observação, mais provável que os outros usuários cliquem no seu perfil pra conhecer melhor e, quem sabe, conhecer o seu trampo. Sem contar que gentileza gera gentileza e talvez numa próxima esses artistas compartilhem o seu som também.

Mas, faça de maneira orgânica; natural. Mais uma vez, não saia por aí largando o seu link e só falando do seu lançamento. Você ainda nem começou a se divulgar e eu já to cansadão do seu papo.

[BÔNUS] Impulsione a sua publicação

Uma maneira bem mais rápida de fazer o seu trampo chegar a um número maior de pessoas é o anunciando. A maioria dos sites oferece uma maneira de você destacar o seu trampo em suas páginas para que mais gente clique e conheça. É claro que pra isso você vai precisar de grana.

Por isso, vale a pena dar uma estudada antes. Entre em contato com os sites, peça algumas informações e números de campanhas recentes; procure por aqueles que possuem visitantes parecidos com o seu público. Cada visualização da sua peça custa uns centavos então é bom caprichar na mensagem e no visual pra impactar o visitante.

Aqui no Vai Ser Rimando, já faz um tempo que não ofereço esse tipo de anúncio. Fiz algumas campanhas de banners e em poucas delas tive um resultado bom; elas se provaram mais eficazes para vendas de produtos relacionados ao rap, não tanto para anunciar músicas e clipes.

Por isso, passei a recomendar a divulgação nas redes sociais, que tem dado melhores resultados. A mais comum delas é o impulsionamento de post no Facebook. O MC mesmo pode impulsionar o seu lançamento no post da sua página, por qualquer quantia.

Se for uma página mais popular, com mais de 5 mil “curtidores”, por exemplo, talvez seja válido investir uns 10, 20 reais apenas para estes. Afinal, seus próprios fãs, mais do que ninguém, querem receber o seu trabalho e o ajudarão a impulsioná-lo organicamente.

Entretanto, se você tiver uma página ainda não tão popular ou quiser expandir seu som para outros públicos, precisa pensar em outra estratégia. Você pode usar a ferramenta de impulsionar para “amigos das pessoas que curtiram sua página” ou até segmentar o público por região e/ou interesse.

Isso pode dar muito certo, mas precisa ser bem feito. Afinal, em quantos posts patrocinados que apareceram no seu feed de notícias você clicou hoje? É preciso uma chamada muito interessante pra eu clicar pra escutar uma música de um grupo de rap que eu não conheço que apareceu no meu feed apenas porque patrocinou seu post.

Entretanto, isso muda bastante de figura se foi compartilhado ou comentado por alguma pessoa próxima ou que eu acredito ter gostos parecidos com o meu. E é aqui que entra o Vai Ser Rimando. Muito mais do que a popularidade, o site conquistou o respeito de muitos fãs do rap brasileiro, sendo elogiado até por renomados artistas da cena.

O que fazemos então é publicar o seu som na nossa página, com um comentário nosso na descrição, e impulsioná-lo para aqueles que curtiram nossa página, ou seja, estão aguardando o conteúdo que publicamos e mais propensos a curtir, compartilhar e clicar nas nossas publicações.

Não anunciamos nada que eu não ouviria, mas sempre que a publicação foi paga para estar ali, ela vai com uma tag específica de anúncio (normalmente “#ad” por causa do tamanho, facilita pro Twitter); acredito que é importante para o público saber isso.

Já vi que outros sites e páginas já fazem o mesmo, vale muito a pena dar uma olhada nos preços e oportunidades que cada um oferece porque é uma forma mais fácil de agilizar seu corre. Entretanto, não adianta só jogar uma grana e ficar esperando o sucesso. Cê pode subir rapidinho e bem alto até, mas se cê não tiver uma base pra te manter lá, olha, a queda deve ser dolorida demais.

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

1 Comment

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*