Uma polêmica envolvendo o Danilo Gentili surgiu há alguns dias no Twitter. Mais uma. O Daniel Ganjaman, lendário produtor do CD do Sabotage e que, mais recentemente, tem trampado direto com o Criolo, publicou na rede uma imagem do comediante ao lado de um cartaz com a frase “Não sou negro graças a Deus”. Ganjaman acrescentou em seu tweet a legenda “Eu só queria dizer que eu odeio o @DaniloGentili com todas as minhas forças”.

Ressurgiu, na verdade. Essa polêmica já é antiga; a imagem em questão faz referência a uma série do Gentili lá de 2014, sendo que já existe um vídeo a explicando de 2015. Aliás, aparentemente, somos todos obrigados a assistir a este vídeo por que o que surgiu de fã revoltado do cara enviando ele pra se explicar não foi brincadeira. Até o próprio apresentador colou pra nos lembrar de assistir ao vídeo; supostamente ele o exonera de todos os pecados do mundo.

A real é que o vídeo é o pior “álibi” que o Danilo Gentili já usou pra tentar não parecer tão idiota após ser criticado por um de seus comentários. É bem verdade que o trecho em questão mostra que o cartaz “Não sou negro graças a Deus” aparece em uma série fictícia, mas ele sozinho não isenta Danilo de porra alguma. Até porque, a imagem em questão nem aparece no vídeo; em nenhum momento seria possível tirar um print e captar aquela imagem. Ou seja, ele teve a ideia, fez a pose e o enquadro deliberadamente e fora da série, fora do tal personagem fictício.

“Ah, mas ele fez pra promover a série.” Pior ainda! Cês acham que é coincidência ele ter escolhido exatamente essa questão pra promover? Aliás, não só acho que não foi coincidência como tenho quase certeza que ele tava só esperando alguém levantar a polêmica pra se fazer de vítima, de novo. Ah, sim, o palmitão aí é um mestre no assunto.

O cara que mais critica as minorias por vitismo não perde uma oportunidade de chorar que é perseguido. Ou cês não lembram da vez que ele escreveu uma carta aberta pra justificar aquela piada do King Kong, dizendo que não sabia por que não podia chamar alguém de macaco se era chamado de girafa na escola. Ó, coitado, to morrendo de pena do branquelo, homem, hétero (até onde eu sei) e rico… nossa, deve ser uma perseguição sem fim mesmo!

“Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de veado e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados. Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste […].”

Infelizmente, não achei a publicação original, mas achei um post no Recanto das Letras com a transcrição da resposta dele após pensarem em criticar a “piada”. E, pras crianças que tão batendo palma pra ele por essa resposta ou que sinceramente não entendem essa questão do preconceito, vale lembrar que este nunca deve ser racionalizado! Resumo superficialmente com a reflexão: quantas pessoas morrem todos os dias por serem altas e quantas por serem negras?

Ou daquela vez que ele mostrou que realmente acredita na fábula do racismo reverso e chorou que era chamado de palmito, mas não podia chamar os negros de carvão. Ou quando a mera citação do seu nome em um artigo do vice-presidente do PT, Alberto Cantalice, na época da Copa do Mundo, antes do golpe, em meio a outros nomes de pessoas que são contra o governo da presidenta Dilma o fez sair por aí todo felizão chorando (sim, porque o choro visível falso esconde as risadas verdadeiras) que o PT queria sua cabeça, que a caça às bruxas havia começado e que tinham mandado bater nele.

Ou ainda quando o Trajano, da ESPN Brasil, criticou a participação dele em um dos programas da casa – descrevendo-o como “um personagem engraçadinho, que se porta como um sujeito que faz apologia do estupro. Em nome do humor, dizendo que no humor cabe tudo” -, ele respondeu que “conseguiram o que queriam: a ira e o repúdio de muita gente contra mim… É assim que funciona a máquina de moer reputações”.

O mais fundo do poço nessa história é que o tal personagem engraçadinho que faz apologia ao estupro, que tanto reclama dos processos que recebe por suas “piadas”, está processando Trajano pela “acusação”, sendo que recentemente ele apagou o tweet em questão (abaixo) quando críticas surgiram após uma adolescente ser estuprada no Rio de Janeiro.

E, pra fechar com chave de bosta mesmo, não poderia esquecer da mais recente, quando ele foi chamado para depor sobre comentários racistas que fez e “se sentiu na ditadura“. De fato, deve ter sido uma tortura mesmo, será que serviram café gelado também? Isso que os caras como ele e o Roger davam a entender que não acreditavam na existência da ditadura. Estranha essa seletividade.

O Danilo Gentili tem um histórico de escrotices ligadas a questões de preconceito. Ou este tweet (abaixo) e toda aquela história da senadora que ele chamou de “tia do café” também fazem parte de uma série ou do “sarcasmo genial” dele? Não, então não me venham dizer que a imagem em questão foi um mal-entendido ou uma descontextualização.

Gentili disfarça uma série de posicionamentos ignorantes os chamando de “piadas”. Gabriel o Pensador, em outras épocas, provavelmente diria que essas “piadas teriam bem mais graça se não fossem o retrato da nossa ignorância, transmitindo a discriminação desde a infância. E o que as crianças aprendem brincando é nada mais, nada menos do que a estupidez se propagando”.

E isso acaba se refletindo em tudo que ele produz. Seu programa é um retrato perfeito dessa babaquice toda. Além da banda ser o Ultraje a Rigor (só não é pior hoje em dia que uma dupla Roger e Lobão), o cara ainda trata mal pra caralho as pessoas que trabalham com ele, cheio das “piadinhas” pra se pagar de senhorzão do bagulho (nem vou entrar nas “brincadeiras” que ele faz com a moça negra que o assiste porque dá até nojo).

Mas, mesmo assim, mesmo com toda essa ambientação pro desastre, ainda aparece, de vez em quando, um rapper por lá promovendo sua nova música, clipe, sua carreira, enfim, já sonhando com os views aumentando e as festinhas que vai descolar agora que apareceu na atração. Eu nunca vou entender por que isso ainda acontece até hoje!

Sim, eu sei, o programa é bastante popular e o artista só quer promover seus trampos; concordo que não há nada de errado nisso. Aliás, os rappers devem ir à TV mesmo, devem aparecer nos lugares que vão os promover com dignidade e espalhar a mensagem. Não é por que cê vai na Globo, no SBT ou em qualquer emissora que cê as apóia. “Não criei o capitalismo, nasci no meio do abismo, comum. Mas tá perto do lixo não me tornou um”, já dizia o Emicida.

E não é por que alguém discorda da sua opinião que você deva se afastar dessa pessoa. A capacidade de trocar uma ideia tranquila e até mesmo debater com pessoas que pensam diferente de você é o que nos fará uma sociedade pacífica e bem melhor, embora este seja um pensamento bem utópico visto o que nos tornamos.

Desculpem a hipocrisia ou a falta de imparcialidade ou como queiram chamar, mas existe um precipício e uns três quilos de merda entre qualquer outro programa e o do Danilo Gentili. E, quem sabe, um dia seja mais fácil perceber que existe essa mesma distância entre uma pessoa que discorda de você e uma que distribui injúrias raciais a torto e a direito por aí.

E eu nem estou falando de um ou outro mano ou mina que nunca teve um espaço desses pra falar e acaba se deslumbrando com a oportunidade, acho que até consigo entender estes. Falo dos grandões na cena, que conseguiriam a mesma repercussão metendo uma grana da hora em uma campanha foda ajudando os sites de rap e afins.

Pelo amor de Brown, MCs, por que cês continuam aparecendo por lá? Nunca criticarei rappers simplesmente por ir no programa ou participar de qualquer coisa com o Danilo Gentili, pelos motivos que já citei. Mas, eu acredito que também nunca entenderei o porquê de continuarem promovendo esse show de horrores; nunca entenderei como conseguem trocar uma ideia com o cara, ouvir o Roger opinando e vê-los tratando colegas como pessoas inferiores sem vomitarem nem uma vezinha sequer.

Não perca mais nenhum post!

Qual a sua opinião?

5 Comments

  1. Li metade do texto e me cansei, ao perceber que ta mais pra pessoal do que realmente uma opniao embasada em fatos em verdades, os proprios comentários aqui deformam todo o texto. Um texto que usa de uma imagem de série pra julgar uma pessoa, através de um personagem, ainda usa Twitter fora de contexto pra julgar a pessoa. Se o apresentador Danilo Gentilli é racista então ele disfarça muito bem, e usar o argumento dele ser rico e bla bla bla, me poupe, o cara saiu do nada e tem o q tem pelo trabalho dele, assim como muitos rappers, funkeiro que sairam do nada e hoje estão com mansões por ai. Usaram essa mesma justificativa com o Prefeito Doria, classe social nao te torna melhor ou pior q ninguem. O texto é tendencioso e o mimimi de qm escreveu ta gritante. Vai trabalhar ganhar sua grana e viver sua vida e para de se incomodar com o sucesso alheio. Se o cara é tão racista então processa ele e para fe ficar disseminando o odio entre as pessoas, criando conflitos q não existem.

  2. E melhor conhecer primeiro a pessoa invés do personagem.
    Danilo pessoa é uma coisa Danilo personagem e outra.
    Vamos deixar de tanto mínimo.

  3. Nossa quantas pessoas a favor do Danilo Gentili. O cara não é só um comediante , ele é um influenciador de pessoas no mercado do entretenimento. Por ter esta importância dentro da mídia é simplesmente justificável que ele pense antes de ficar destilando preconceito e depois para evitar grandes polêmicas chora, se faz de vítima.
    Comediante é ser humano e mora em um país de raças, gêneros e culturas diversificadas, o mínimo que ele tem que fazer é respeitar os outros independente do ambiente que ocupar. Não importa se é na rua, na televisão, nas redes sociais, o respeito ao próximo não tira folga, deve ser usado em qualquer situação.
    Também acredito que justificar seu erro citando atitudes preconceituosas de outras pessoas não vão eliminar suas responsabilidades com as declarações preconceituosas.
    Ofender o outro sempre será forma de preconceito.

  4. Danilo é um bosta, mas quem escreveu essa bosta de matéria também é um bosta, que nem pra servir de um artigo de conhecimento e defesa de causa serve. Um artigo que usa pra mostrar ódio pessoal e não defesa não é nada mais e nada menos que um texto bosta. ceis deve ser cria do Emicida né? Pra falar tanta bosta pessoal.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*